Ciência e Tecnologia Cultura

O humor e as imagens na rede

Entenda o porquê do sucesso de sites de humor e aplicativos de compartilhamento de fotos, manias virtuais que têm suas razões de existir

Por Ana Luiza Tieghi (ana.tieghi@gmail.com)

A Internet não serve só para dinamizar o dia a dia no trabalho e ajudar na hora de fazer pesquisas escolares, ela é também um lugar em que se encontra diversão. Sites e aplicativos de entretenimento existem aos montes e absorvem, às vezes até demais, boa parte do tempo que as pessoas passam conectadas. Desde sites colaborativos, nos quais são os usuários que enviam o conteúdo, passando pelas já tradicionais charges virtuais, e chegando até às correntes que, de e-mail em e-mail, repassam piadas, o humor está em toda a parte na rede.

Memes, Facebook e 9GAG

Se você usa as redes sociais, com certeza já se deparou com alguns desenhos estranhos, parecendo mal feitos e em preto e branco. Já deve ter visto também algumas imagens que se movimentam sem que você faça nada para isso. Está reconhecendo essas descrições? Então você já foi apresentado aos memes.

Eles estão por toda parte em sites de humor como o 9GAG e seus derivados brasileiros, além de serem compartilhados aos milhares no Facebook. Se ainda não conhece, aqui vai uma explicação. Os memes são tão antigos quanto a humanidade. Podem ser imagens, desenhos, sons, ou qualquer tipo de conteúdo que se espalhe rapidamente e atinja muitas pessoas, que consiga de autopropagar. Gírias e GIFs (aquelas imagens que se movimentam) são exemplos de memes muito utilizados.

Exemplo de GIF, a imagem ilustra o movimento de um gato. Animal muito usado para dar origem aos memes. (Imagem: FuckYeah PussyGifs)

Além do ambiente virtual, os memes invadem o dia-a-dia das pessoas. As expressões “True Story”, “Me Gusta” e “xatiado”, são exemplos de memes que aqueles que frequentam o Twitter, o Facebook e o 9GAG conhecem bem. As origens variadas desses memes ressaltam as diversas situações a que eles podem remeter. “True Story” é uma fala recorrente do personagem Barney, do seriado americano “How I Met Your Mother”, “Me Gusta” foi criação de um usuário do 4chan, site que é um verdadeiro depósito virtual de imagens. Já “xatiado”, foi inspirado nas expressões faciais não muito felizes do político José Serra. Surgindo das mais diversas fontes, os memes nunca se esgotam. Se uma expressão, imagem ou som se aplicar a diferentes momentos da vida dos internautas, um novo meme nasce. Você pode não perceber, mas dificilmente passará um dia sem se deparar com um.

Tumblrs

Outra plataforma muito utilizada para fazer humor na internet são os tumblrs. Tumblr é um tipo de blog, onde o usuário escolhe qual meio (imagem, texto ou vídeo) vai priorizar para publicar seu conteúdo. Esse tipo de site tem milhões de usuários ao redor do mundo, sendo um dos mais populares da rede. Seu conteúdo varia conforme a pessoa que o gerencia, passando por dramas pessoais, textos e até mesmo humor.

Aqueles que se destacam pelo humor geralmente utilizam os GIFs aliados a um tema específico proposto pelo site. Um tumblr voltado para o humor que se destaca no Brasil é o Como Eu Me Sinto Quando, para o qual seus frequentadores podem mandar sugestões de temas e GIFs. O criador do site, Marcelo Cidral, afirma receber uma média de 100 sugestões por dia. Para se ter uma ideia da popularidade do site, o CEMSQ já teve picos de 180 mil visualizações diárias, mantendo uma média de 110 mil visualizações. Para gerenciar um tumblr desse tamanho, Marcelo, que faz tudo sozinho, gasta 3 horas por dia. Perguntado sobre o motivo da enorme popularidade de seu site, disse pensar que a razão é “o fato da fórmula ser tão simples, dinâmica e o fato dos GIFs estarem super em evidência. Além disso, tem aquela velha história de: ‘nossa, eu achava que era o único que sentia isso’”.

E não são só os tumblrs de assuntos gerais que fazem sucesso. Voltado para um público mais específico, os estudantes da USP, o tumblr Um Uspiano Quando também é muito conhecido. Inspirado em tumblrs de universidades americanas, o criador do site, que preferiu não se identificar, conta que busca retratar “o sentimento, pensamento ou a atitude do uspiano”. Ele acredita que o sucesso de seu tumblr e de similares se deve ao fato de se tratar de “um humor mais satírico e ligado com o dia-a-dia”, mas não descarta a possibilidade dessa plataforma ter uma vida curta. “Esse tipo de humor tem vida longuíssima, bem assim: ano que vem um calouro seu vai te perguntar ‘o que é tumblr?’ e ninguém vai conseguir explicar o que é, o que faz, como se alimenta. É uma tendência normal na internet as coisas não durarem muito tempo. Vira uma mesmice cansativa”.

A enorme quantidade e popularidade dos tumblrs focados no humor parece ir contra essa afirmação. Se depender dos donos e frequentadores desses sites, muitas risadas ainda virão.

Além do humor, a intimidade

Como foi dito no começo desta reportagem, a internet não é um lugar só de pesquisas e trabalho. O humor é parte importante da vida na web, mas outros aspectos do mundo virtual fazem tanto sucesso quanto. As redes sociais e aplicativos para celulares que possibilitam aos usuários a divulgação de fatos do cotidiano só crescem e a palavra do momento é compartilhar. Na internet compartilha-se tudo, o que se comeu no café da manhã, para onde se está indo, onde chegou, com quem estava, enfim, para tudo, mas tudo mesmo, há uma rede social. Acha demais? A noção de privacidade que a geração dos nossos avós e mesmo dos nossos pais conhecia está mudando. Para os jovens de hoje, não é nenhum problema que todas as pessoas, até aquelas que são desconhecidas, saibam como eles vivem. Os aspectos mais comuns do cotidiano estão elevados a outro nível de interesse. Por meio das redes sociais e dos aplicativos, hoje, a exposição do cotidiano gera, principalmente, repercussão e notoriedade.

Instagram

Seguindo essa linha de compartilhamento, o aplicativo Instagram afirmou-se como um dos mais populares entre aqueles que utilizam os sistemas operacionais iOS e Android em seus celulares. Sistemas operacionais são conjuntos de programas que gerenciam o funcionamento de um aparelho, nesse caso, telefones móveis, apontando qual parte do sistema deve receber mais atenção do processador, coordenando a memória, criando arquivos, entre outras funções. O aplicativo é uma espécie de rede social que permite que seus usuários tirem fotos, adicionem filtros para editar as imagens e publiquem-nas na rede. Outros usuários podem “curtir” e comentar as fotos. Com as câmeras dos celulares presentes em quase todos os momentos do dia-a-dia, proliferam imagens de banalidades do cotidiano, refeições e o ambiente urbano. Mas isso não significa que essas imagens não tenham valor e beleza. Segundo Isadora Attab, usuária assídua do aplicativo, “a gente começa a procurar coisas bonitas no dia a dia pra fotografar, e mesmo procurar beleza nas coisas feias, cotidianas, banais. É um bom exercício”.

Porém, a mania de fotografar e compartilhar qualquer detalhe que passe diante dos olhos pode levar a problemas de superexposição da intimidade. Isadora conta que costumava se preocupar muito com isso, mas que agora encara essa exposição exagerada de uma forma mais leve,“só tomo mais cuidado com o que posto e pronto”.

Fotos de Isadora Attab postadas por meio do Instagram. (Fotos: Divulgação)

Seja por meio do humor ou do registro de momentos do cotidiano, a internet está muito presente na vida das pessoas, principalmente das mais jovens. Antes um mundo a parte, agora ela é parte importante do nosso mundo. Dessa forma, se tornou possível expressarmos com humor ou com imagens o que pensamos, o que gostaríamos de dizer e, o melhor de tudo, encontrarmos pessoas que dividem esse sentimento conosco. Ela não é mais um fator isolador, agora a internet é um meio que conecta cada vez mais nossas vidas com as dos outros, mas de uma forma diferente daquela que acontecia décadas atrás. A geração do compartilhamento está aí para mostrar o quanto isso é verdade.

J.Press
A Agência J.Press de Reportagens é um espaço destinado à publicação e divulgação de matérias com abordagens inovadoras. Vinculada à empresa Jornalismo Júnior, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP), a agência busca novas formas de explorar assuntos de interesse público por meio do jornalismo.